O SBEA – Simpósio Brasileiro de Engenharia Ambiental – nasceu na cidade de Itajaí, em 2002, através da iniciativa de docentes e alunos do curso de Engenharia Ambiental da Universidade do Vale do Itajaí. Seu objetivo consistia em estabelecer um evento que congregasse alunos de graduação e profissionais da área, facilitando a troca de experiências e a consolidação da profissão.
Paralelamente, também desde 2002, o Fórum de Coordenadores de Cursos de Engenharia Ambiental veio se reunindo para discutir assuntos relacionados ao ensino e ao exercício desta profissão.

Dentre os temas abordados nesses eventos, principal e paralelo, constam questões referentes ao perfil profissional, matriz curricular, avaliação e reconhecimento de cursos, sistema de avaliação de cursos, Sistema CONFEA/CREA, amadurecimento da profissão, consolidação do mercado de trabalho, a necessidade de organização da classe e, principalmente, a relação com o mercado e outras profissões congêneres e correlatas.

Nesse sentido, como resultado destes esforços, foi criada oficialmente, em 20 de maio de 2005, durante a sétima reunião do Fórum de Coordenadores, a Associação Brasileira de Engenharia Ambiental – ASBEA – que posteriormente, dia 02 de maio 2012, tornou-se Associação Nacional de Engenheiros Ambientais – ANEAM, quando então, já sob a logomarca “ANEAM” realiza-se o SBEA.

No ano de 2015, em sua oitava edição, o SBEA foi realizado, pela primeira vez por duas entidades de classe, a Associação Paranaense dos Engenheiros Ambientais – APEAM e Associação Nacional dos Engenheiros Ambientais – ANEAM com o apoio da Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUCPR.

Esse simpósio, já agora um evento de amplitude nacional e internacional, reuniu os engenheiros e engenheiras, alunos e docentes, representantes e dirigentes de entidades que congregam a categoria da engenharia ambiental e agora da engenharia ambiental e sanitária de todo o Brasil.

Seguindo a tradição do SBEA, o Fórum de Coordenadores de Cursos de Engenharia Ambiental trata de assuntos relacionados às grades curriculares, problemas de reconhecimento de cursos, etc. 

Em 2017, na Cidade de Belo Horizonte, em meio a grave crise que atingia a Nação e em especial as engenharias, a Engenharia Ambiental Brasileira, não se abateu. Realizou o IX SBEA, com apoio do Sindicato dos engenheiros de Minas Gerais e da Universidade Federal de Minas Gerais e, pela primeira vez, em paralelo aos eventos principais, a ANEAM realizou eleição livre e democrática para escolher seus representantes a nível nacional, consolidando assim uma entidade de classe forte e participativa, focada nos grandes problemas ambientais nacionais e mundiais, ao mesmo tempo em que se transformou com a força da democracia, em uma entidade representativa e interlocutora com as diversas correntes políticas e técnicas do Brasil.

Contudo, o desafio não estava completo e, em julho 2018 funda-se a Federação Nacional de Entidades de Engenharia Ambiental e Engenharia Ambienta e Sanitária – FNEAS, cuja missão é congregar e aproximar as entidades associativas de engenheiros ambientais e engenheiros ambientais e sanitaristas do Brasil sob a bandeira e espírito de uma federação, tendo por princípio fundamental, unir e coordenar a nível nacional os objetivos da profissão e representá-las junto ao Sistema CONFEA-CREA E MÚTUA; a profissão se reúne em associações em 23 Estados da Federação e mais o Distrito Federal.

Há, inclusive, estados que tem mais de uma associação, caso do Paraná com cinco entidades e Minas Gerais com três; cresce em todo o Brasil a participação e inserção dessa importante modalidade de engenharia em todo o Sistema CONFEA-CREA e MÚTUA e, por certo, com toda a Sociedade.
E nesse diapasão que se realizará o X SBEA, e que com o advento da Engenharia Ambiental e Sanitária, modalidade em que se transformou a antiga cadeira de Engenharia Ambiental por força de portaria do Ministério de Educação – MEC, passará a denominar-se Simpósio Brasileiro de Engenharia Ambiental e Engenharia Ambiental e Sanitária – SBEA.

 A cidade escolhida por unanimidade dos votos de todas as entidades que hoje se congregam na FNEAS foi RECIFE, hoje sede da Associação de Engenheiros Ambientais e Engenheiros Ambientais e Sanitaristas de Pernambuco – AEAMBSPE que está responsável por todos os atos de produção e realização do evento.