José Roberto M. Freire

INBEC


Formado em engenharia de minas em 1979 na UFPE e em engenharia de segurança em 1980, iniciou suas atividades profissionais no startup da Mineração Caraíba Metais, onde iniciou a sua formação técnica e operacional. Após 5 anos de intenso aprendizado, foi recrutado pela Dupont do Brasil para assumir a liderança técnica do projeto de mineração de fluorita, matéria prima para a fabricação do Freon, permanecendo por 5 anos neste projeto, até a sua maturação. Neste período, representava a Dupont no seu Comitê Técnico Internacional como Guardião da Tecnologia do Freon.

Após 10 anos de experiência em implantação e operacionalização de projetos, foi convidado para ingressar nas atividades de recuperação de empresas com dificuldades técnicas e operacionais, buscando traze-las para o seu ponto de equilíbrio. Nesta atividade, acumulou um histórico de sucesso na recuperação de diversas empresas, como: SA Mineração de Amianto ( SAMA ), Saint-Gobain Unidade de São Vicente-SP, TCA – Tecnologia em Componentes Automotivos, Companhia Mineira de Metais – CMM, Cia. Paraibuna de Metais, etc.

Já com uma consolidada carreira em cargos de direção, assumiu a função de Diretor de Tecnologia na Votorantim Metais, com a função de promover o desenvolvimento técnico das empresas da holding ( Aço, Níquel e Zinco ), sendo responsável pelas atividades de engenharia, geologia, desenvolvimento tecnológico e elaboração de planos estratégicos.

Foi presidente da União Brasileira de Vidros, onde promoveu um grande processo de recuperação técnica, comercial e financeira, reposicionando a empresa no mercado de vidro impresso nacional e internacional, com boas margens de lucratividade.

Assumiu a Vice-Presidência da Kinross Gold Corporation, maior empresa canadense do Brasil, liderando o processo de expansão de sua unidade de mineração de ouro de Paracatu – MG, no valor de U$ 500 milhões. Expandiu a produção dessa unidade de 120.000 onças para 500.000 onças.

No Estaleiro Atlântico Sul, foi Diretor de Operações Integradas, assumindo a liderança operacional na construção dos navios sonda e petroleiros por 4 anos.